Perfil 280x280.jpg

LAURO VÍCTOR,

DESIGNER DE PRODUTOS, DESIGNER 3D

E FREELANCER

Tudo começou a mais de 12 anos atrás quando decidi entrar na faculdade de Design Industrial. Já tinha um conhecimento de 3D desde 2006 e com os aprendizados da faculdade essas habilidades só aumentaram. 

 

Profissionalmente, trabalho a mais de 10 anos. Comecei fazendo estágio em escritório de arquitetura, depois migrei para escritório de comunicação visual e por último trabalhei 8 anos em um fabricante de móveis corporativos no Brasil.

 

Hoje trabalho prestando serviços como Designer Industrial com criação e desenvolvimento de produtos e também como Designer 3D com visualização arquitetônica e de produtos, Arch-Viz e Product-Viz.

 

As duas áreas são correlatas, e auxiliam em todo o processo, tanto no desenvolvimento de produto, onde, com a visualização consigo contextualizar o produto, mas também em criação de visualização arquitetônica consigo inserir produtos dentro dos espaços de maneira realista, sendo igual ao que será entregue ao cliente.

 

Para a criação do mobiliário, essa metodologia se torna mais fácil, tangível e sustentável quando se tem uma visualização correta do produto, se ele atende as demandas e necessidade do projeto, se ele é rentável a produção e venda, antes mesmo de produzir o primeiro protótipo.

 

“O fato de desenvolver produtos com uma metodologia mais previsível do retorno, permite a criação de móveis e artefatos com um processo mínimo de desperdícios, sendo mais sustentável, tanto financeiramente como ambientalmente.” 

 

Hoje, a prototipagem virtual permite resolução de problemas antes mesmo de começar a execução física do projeto ou do produto. Por isso é interessante ter visualizações profissionais de alta-qualidade que trazem projetos a vida criando emoções já nos primeiros estágios.


“Já imaginou fazer a venda de móveis, sem antes ter gasto matéria prima? Através conhecimento amplo, de metodologia de design orientada ao usuário e ao desenvolvimento de produtos e visualização de alta-qualidade profissional, isso é possível”